O mercado competitivo tem imposto novos ritmos a microempresários, trabalhadores autônomos e pequenos empresários. E uma das principais estratégias para não terminar o mês no vermelho está na boa gestão e planejamento financeiro. Existem diversos desafios diários relacionados a recursos humanos, fornecedores, logística e metas a serem alcançadas. Questões que se agravam, principalmente, quando não se tem setores exclusivos para as áreas comerciais, financeiras e de logística, por exemplo.

A boa gestão é vital para a saúde financeira do seu negócio, pois trata diretamente do caixa da empresa, assim como o que você tem a receber e o que tem a pagar. O acompanhamento do fluxo de caixa para programar futuras ações, implementar balanço mensal para ter comparativos mês a mês e fazer uma análise do custo de operação são apenas algumas das dicas sugeridas por especialistas para que seu negócio não vire o mês com as finanças no vermelho.

Dica 1: Acompanhe o fluxo de caixa

É super importante ter em mãos os relatórios que mostram o montante do caixa recebido e gasto durante um período, e com isso fazer projeções futuras. E qual o objetivo disso? Se o empresário conseguir prever como estará o seu caixa daqui a 60, 90 ou 120 dias ele pode focar em uma campanha de marketing, promoção, planejar compras de estoque ou realinhar as metas.

4 dicas infalíveis para gerenciar o fluxo de caixa de sua empresa

 

Dica 2: Faça um balanço mensal

Faça uma checagem administrativa, verifique o estoque, observe a evolução das vendas, as contas a pagar e a receber, o patrimônio da empresa e se novos clientes foram captados. Com isso, pode-se comparar mês a mês e observar se as mudanças foram positivas ou negativas, além de ter em mãos uma tendência e trabalhar com dados e segurança para mudanças futuras.

As principais práticas de gestão para microempresas

 

Dica 3: Analise o custo de operação

Deve-se pôr no papel qual é o custo de operação da empresa, pesando, medindo e analisando. Isso é importante, pois pode indicar que o custo para manter determinadas operações está muito elevado e está prejudicando a correta destinação de recursos.

É importante ter austeridade no planejamento financeiro e gastar somente o que for necessário para manter a operação, investimentos e gastos extras devem ser bem planejados.

 

Dica 4: Cuidado com o crédito bancário

Quando for contratar um crédito bancário, negocie as melhores taxas de juros, observe o prazo de quantos meses se tem para pagar e se o valor que você está contratando é o suficiente para suprir as suas necessidades. Crédito sobre crédito pode onerar demais o seu caixa. Fique atento se os juros são fixos ou variáveis, juros variáveis são mais arriscados e dependem de uma boa perspectiva da economia para serem vantajosos.

Veja também como enfrentar épocas de crise

 

Dica 5: Não assuma riscos desnecessários

Não compre um imóvel ou veículo sem o planejamento financeiro adequado e sem necessidade estratégica. Nunca haja por impulso, relatórios e planilhas ajudam a pensar estrategicamente.

 

Dica 6: Saiba a hora de adiantar pagamentos

Estude a hora correta de pagar uma parcela a mais do financiamento, ou de uma compra, você pode precisar desse recurso em operações futuras.

Aprenda como transformar fornecedores em parceiros

 

Dica 7: Cuidado com o cartão corporativo

Em primeiro lugar, o cartão deve ser utilizado única e exclusivamente para os gastos com a empresa, e nunca com gastos pessoais. Esse erro é comum entre pequenas empresas, o responsável acha que aquele é mais um cartão pessoal, e acaba utilizando-o para gastos pessoais. Outro problema em relação ao cartão corporativo são as parcelas e o alto limite. A depender, faça com que o limite seja o ideal para ser usado nas suas compras, e o número de parcelas divididas nas compras não exceda 12 meses.

As sete dicas listadas acima, sem dúvida ajudarão você, empresário ou gestor, a realizar um bom planejamento financeiro e administrar melhor as finanças da empresa.

Gerenciador Financeiro e Frente de Caixa, inovação para o varejo!