“Fracasso é simplesmente a oportunidade de começar de novo. Desta vez, de maneira mais inteligente”, é o que dizia Henry Ford (1863-1947), fundador da marca de veículos Ford. Partindo do pressuposto que um dos homens mais bem sucedidos das últimas décadas também já passou por momentos de crise, qualquer empresa – seja de micro a grande porte – não está isenta de probleminhas ao longo do percurso.

Mas como enfrentá-los com sabedoria? Há estratégias voltadas justamente para contornar situações como essa. Pensando nisso, elaboramos este post trazendo as principais dicas de como enfrentar épocas de crise. Confira!

Botar a casa em ordem

Analisando a empresa

A primeira coisa a se fazer em momentos delicados, financeiramente falando, é avaliar a empresa como um todo. Não saia cortando gastos sem ter noção de que estes são realmente os causadores dos ônus de seu negócio. Assim, analise de forma categórica a organização. Vá fundo em sua pesquisa e utilize ferramentas bem conhecidas no mundo empreendedor, por exemplo: Análise SWOT, que recolhe dados importantes do ambiente externo e interno para verificar a situação estratégica a ser tomada na empresa, de acordo com quatro fatores: pontos fortes; pontos fracos; oportunidades; ameaças.

Veja também, 4 dicas infalíveis para gerenciar o fluxo de caixa de sua empresa

Confronte dados para ter a certeza de que tal despesa é desnecessária. Considere, inclusive, fatores externos, tais como: mudança de mercado, investimentos, situação geográfica e climática atual, diferentes cenários, concorrência e desejos do público-alvo. Em outras palavras, reflita sobre todas as hipóteses que possam ter afetado sua empresa.

Feito isso, é hora de botar a casa em ordem e conter gastos. A prática a ser adotada é “Gerenciar custos e liquidez”, ou seja, monitorar e fazer uma projeção de caixa para garantir liquidez e honrar os próximos compromissos (restos a pagar), principalmente os de curto prazo. Afinal, liquidez é a chave para qualquer organização sobreviver às possíveis crises financeiras. Então aproveite essa fase para administrar rigorosamente o capital de giro, em especial ficar atento ao controle de crédito ao cliente.

Não se esqueça de rever processos e procedimentos da empresa. Olhe a forma dos atendimentos ao cliente, a logística, o pós-venda e, também, a parte administrativa. Adote estratégicas como 70-20-10, a qual prioriza 70% do tempo para a execução das tarefas, 20% para rever os trabalhos executados e formas de melhoria e 10% para refletir sobre a organização num todo para que tenha melhores resultados, seja sugerindo treinamentos, ou trabalhos para fortalecer o trabalho em equipe etc.

Repensar a organização

Repensar Empresa

Feita a limpeza na empresa, é de suma importância inovar seus produtos e serviço para ficar sempre à frente do mercado e não deixar seu negócio se afundar na crise. Use métodos como “acelerar a força de vendas”, que consiste em um conjunto de estratégias para focar as vendas nos alvos corretos, analisando o cenário atual e os dados históricos de seus consumidores (principais produtos vendidos e procurados, tipo de cliente assíduo, esporádico ou específico, melhores ofertas e promoções, etc.).

Após, utilize a metodologia “precificar para ganho de margem e share”, isto é, dar uma baixada nos preços para obter mais mais mercado e ganhar em volume aumentando a margem operacional. Porém, primeiro verifique preços com fornecedores e, claro, com a concorrência, a fim de que o percentual a ser reduzido fique adequado e atrativo para sua empresa e para os seus clientes.

Investir em marketing, mesmo estando em situações de aperto, é sempre uma boa opção para alavancar as vendas. Essa despesa, quando bem empregada, não pode ser vista como custo supérfluo para uma organização. Por isso, pense bem na sua divulgação, mesmo no meio digital, a fim de que lhe traga bons resultados e de forma rápida. Lembre sempre do ROI, ou seja, no retorno sobre o investimento. Analise cada ação de marketing isoladamente. Caso alguma não lhe dê o retorno esperado, é hora de repensá-la ou deixá-la de lado.

7 dicas para sua empresa não fechar o mês no vermelho

Fortalecer com eficiência

Crescer Vendas

Você já cortou gastos, remanejou os processos, reduziu os preços e investiu em marketing. O que mais precisa fazer? Precisa de uma “blindagem” para garantir que não haja quedas até o final da crise. O primeiro passo é fortalecer a empresa, a fim de direcionar suas decisões ao que mais interessa, sem desperdiçar tempo e dinheiro com coisas menos relevantes.

Segundo passo é fazer um gerenciamento de possíveis crises para ficar preparado às terríveis mudanças de cenário. Por isso, faça um plano detalhado seguindo cinco etapas básicas:

  • Envolver as pessoas-chave na elaboração do planejamento, se não for possível participar todos os colaboradores.
  • Listar as possibilidades de crise, inclusive detalhando-as por área, levando em consideração a vulnerabilidade de cada uma delas.
  • Detalhar os possíveis caminhos para passar pelas crises identificadas.
  • Conhecer bem os processos de gestão e gerenciamento das crises, quando estas começarem, a fim de implementá-los rapidamente.

Aprenda também como transformar fornecedores em parceiros

Adotando tais estratégias sua empresa usará a crise a seu favor. Como disse o consultor financeiro Mario Persona ao Portal Exclusivo: “o momento da crise é a prova que revela quem estava de olho no futuro”. Tal afirmação é reforçada pelo homem mais rico do país, Jorge Paulo Lemann, ao dizer, em entrevista para o site UOL, que “o mercado e os empreendedores do Brasil são muito bons, então é melhor olhar para frente, ver como aproveitar qualquer dificuldade”.

Dicas de um bilionário

Jorge Paulo Lemann, dono da Ambev, é um empresário de renome internacional. Segundo a Forbes, estima-se que ele tenha uma fortuna de quase R$ 50 bilhões. Mas para chegar a esse posto, passou por poucas e boas no mercado financeiro. Porém, conseguiu desvencilhar adotando táticas certeiras para aproveitar a crise e lucrar com ela. Seus segredos de sucesso foram revelados ao Instituto Empreender Endeavor, organização que identifica e viabiliza a continuidade sustentada dos negócios de empreendedores de alto potencial de crescimento. Para dar uma mãozinha para você chegar lá, resumimos as cinco lições apresentadas pelo bilionário para que você possa adotar em sua empresa. Confira!

  • Não se desespere: “podemos não estar no melhor momento, mas as maiores operações que tivemos [no Brasil] foram em épocas de crise”.
  • Tenha equilíbrio profissional e pessoal: “o segredo talvez seja ter uma mistura de disciplina e regras com base no que se quer fazer (e pessoas são diferentes, então tem que fazer regras que façam sentido para você) e ter equipes que possam transformar uma empresa”.
  • Forme boas pessoas: “o empreendedor tem que dar grande importância ao tópico de gente. Geralmente, ele olha mais para custos e vendas e contrata alguém de RH para se ocupar do assunto. Gente é algo em que o dono tem que estar envolvido”.
  • Construa um cultura organizacional com seus colaboradores: “o foco é remar junto, e tem funcionado bem assim”.
  • Venda seus sonhos grandes: “se você vende o sonho que é difícil, mas que é atingível, melhor. Assim, você vai aumentando de sonho em sonho, engajando todo mundo, conforme a empresa cresce”.

Gostou das dicas? Comente e compartilhe conosco o que você achou!

Gerenciador Financeiro e Frente de Caixa, inovação para o varejo!