Na busca por parceiros, Jeff Bezos, diretor executivo da Amazon.com e um dos empresários mais inovadores da última década teve um dos maiores embates já vistos com fornecedores, sua briga era por um novo paradigma de preços e sua busca era por parceiros alinhados ao seu objetivo visionário, ele disse: “Eu frequentemente me perguntava: ‘O que vai mudar nos próximos 10 anos?’ E essa é uma pergunta muito interessante. E nunca ouvia a pergunta: ‘O que não vai mudar nos próximos 10 anos?’. E eu lhe digo que essa segunda questão é realmente a mais importante das duas. Porque você deve construir sua estratégia de negócios em torno do que será estável… No varejo online sabemos que o cliente quer preços baixos, e eu sei que isso ainda será verdade daqui 10 anos. Eles querem entregas rápidas, muitas opções de produtos. É impossível imaginar um futuro daqui 10 anos, onde um cliente chega e diz: ‘Jeff, eu amo a Amazon, eu só queria que os preços fossem um pouco maiores.’ ou ‘Eu amo a Amazon, só gostaria que entregasse um pouco mais devagar’. Impossível. Assim, o esforço que colocamos são nestas coisas. Sabemos que a energia que colocamos hoje estará pagando dividendos para os nossos clientes daqui 10 anos. Quando você tem algo que sabe que é verdade, mesmo a longo prazo, você pode se dar ao luxo de colocar energia nisso.” Referência: 20 coisas inteligentes que Jeff Bezos já disse.

1) A microempresa e seus fornecedores/parceiros, uma relação em dissonância

O varejista hoje briga com gingantes online, como a Amazon, para oferecer produtos com melhor preço e maior comodidade para o seus clientes. Quando vejo uma microempresa tendo muita dificuldade em encontrar bons fornecedores, buscando melhores preços, prazos e disponibilidade eu lembro o quanto é difícil montar um pequeno negócio. A equipe geralmente é pequena, a quantidade de desafios e barreiras é enorme. Lidar com fornecedores e garantir um produto de qualidade, no prazo e com bom preço é uma das partes fundamentais desse jogo.

Por sua vez, mesmo os grandes fornecedores tem grande interesse em atender as microempresas, porém o custo de operação se torna caro para pedidos pequenos e a estrutura oferecida para atender as microempresas torna os preços para este segmento menos competitivos. É uma questão de eficiência operacional.

Falta de integração e informação geram essa dissonância. As microempresas precisam estar interligadas aos seus fornecedores para que suas demandas sejam conhecidas de forma a tornar esta relação mais eficiente, baixar custos e melhorar o relacionamento. Ser parceiro exige um contato mais próximo, mais conhecimento das necessidades e possibilidades do outro.

Parceiros precisam estar integrados, as vantagens são vitais para ambos os lados.

Para fornecedores:

  • Diminuir o custo de venda e atendimento, sabendo antecipadamente das necessidades de um conjunto de clientes;
  • Melhorar o relacionamento e ajudar o seu cliente a crescer, com preços, produtos e insights de mercado;
  • Monitorar a demanda em macro e micro regiões, atendendo com mais precisão a demanda dos consumidores;
  • Planejar a produção e distribuição com mais precisão e eficiência;

Para as microempresas:

  • Poder fazer pedidos diretamente de um aplicativo no celular ou computador;
  • Receber ajuda dos fornecedores para monitorar o estoque de cada marca;
  • Receber indicações de preços e promoções;
  • Receber informação do perfil das demandas dos consumidores, podendo oferecer produtos e serviços mais adequados;
  • Ter canais de comunicação mais diretos e baratos;
  • E o principal, poupar tempo!

A IBM, maior empresa de tecnologia do mundo, previu que nos próximos 5 anos sistemas inteligentes darão cada vez mais suporte as operações de comércio, aproximando parceiros e gerando melhores negócios. Procure tecnologias que o ajudem a se integrar com seus fornecedores, Simbio recebeu da IBM um dos principais prêmios de inovação do país e traz avanços importantes nesse aspecto, permitindo que você e seus fornecedores façam parte de uma mesma rede de negócios.

4 dicas infalíveis para gerenciar o fluxo de caixa de sua empresa

 

2) A dificuldade da microempresa em acompanhar as mudanças do consumidor e do mercado

Consumidores mudam de comportamento com muita rapidez

Para crescer é preciso eficiência e para ser eficiente é preciso estar organizado. As principais causas de quebra de negócio estão ligados a falta de planejamento, organização e conhecimento sobre o mercado e o negócio. Conhecer o mercado hoje exige um esforço ainda maior, consumidores seguem micro tendências e, em massa, mudam seu comportamento da noite para o dia por influências das suas redes de informação.

Novas tecnologias tem feito mudanças drásticas em negócios tradicionais, até pouco tempo atrás comprar um ponto de táxi era sinônimo de investimento, hoje os clientes usam aplicativos no celular para pedir o táxi mais próximo e os pontos passaram a ser o estacionamento mais caro do Brasil, na sua maioria.

7 dicas para sua empresa não fechar o mês no vermelho

Planilhas não resolvem os novos desafios do microempreendedor, fazer parte de uma rede de negócios é fundamental, os grandes fornecedores são os maiores interessados em ajudar as microempresas da sua cadeia a estarem mais organizadas para enfrentarem os desafios impostos por novas tecnologias que são implacáveis contra negócios ineficientes. A consultoria Deloitte em sua análise setorial do varejo já propõe há anos que as grandes redes de fornecimento invistam em gestão e num relacionamento mais moderno com as microempresas da sua rede, fazendo destes melhores parceiros de negócio.

Conclusão

SCM ( Supply Chain Management ) que significa a interligação entre processos de negócios de empresas parceiras é um conceito ainda pouco aplicado nas microempresas, pois exige tecnologias caras e complexas. Esse cenário vem mudando, alguns futuristas como Ray Kurzweil preveem o crescimento exponencial da tecnologia de maneira a torna-lá mais acessível, esse é um movimento sem volta.

As microempresas precisam se tornar mais eficientes utilizando tecnologias modernas, que propiciem:

  • A identificação das tendências de consumo com maior rapidez;
  • Criem uma relação mais eficiente e inteligente com parceiros e fornecedores;
  • Torne mais ágil mudanças em processos de negócio, de forma a diminuir o risco no confronto de novos paradigmas impostos por tecnologias mais eficientes.

Veja também, como enfrentar épocas de crise

Gerenciador Financeiro e Frente de Caixa, inovação para o varejo!